Crato promove ações na Campanha Julho Amarelo e alerta sobre os riscos das hepatites virais

  • 31/07/2017
  • SMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu 28 de julho como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, e durante todo o mês, o chamado Julho Amarelo, são realizadas mobilizações, com atividades voltadas à prevenção dos diversos casos de hepatites.

Nesse contexto, a Secretaria da Saúde do Crato realizou na manhã da última, sexta-feira, 28, na Praça Siqueira Campos ações de conscientização, prevenção e imunização e sobre os riscos das hepatites virais. Profissionais estiveram na Praça prestando serviços e fornecendo in formações para a população.

Dentro das ações da Campanha Julho Amarelo, a Saúde do município vem realizando um trabalho contínuo de alerta e abordagem educativa em pontos da cidade e zona rural.

Segundo a enfermeira, supervisora do Serviço de Atendimento Especializado (SAE) em ISTs, HIV/AIDS e hepatites virais da Secretaria de Saúde do Crato, Patrícia Mendes, durante as ações foram feitos testes de hepatite B, de hepatite C, disponibilizadas vacinações contra a hepatite B, bem como distribuição de preservativos (masculinos e femininos) e lubrificantes.

De acordo com a Secretaria de Saúde interina, Milenna Alencar Brasil, o município oferece rotineiramente, através do SAE, os testes rápidos de hepatite B e C para situações indicadas pelo Ministério da Saúde e dispõe de vacinação contra Hepatite B em todas as unidades de saúde. “Devemos estar em constante vigilância, porque a Hepatite é uma doença que pode não apresentar sintomas”, ressalta.

A hepatite é uma inflamação no fígado que pode ser causada por diferentes vírus, uso de remédios e drogas injetáveis, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Alertar sobre os riscos que a doença traz à saúde da população, especialmente as virais, é o objetivo da campanha Julho Amarelo.

Prevenção e tratamentos

As hepatites mais comuns são A, B e C, mas existem também as hepatites D, E e G. Cada uma delas é provocada por um tipo de vírus e tem diferentes formas de prevenção e tratamento.
As hepatites B e C podem ser contraídas por meio de relações sexuais, compartilhamento de agulhas, seringas ou uso de materiais perfurantes de higiene pessoal, como lâminas de barbear, alicates de unha e outros. A hepatite B também pode ser transmitida de mãe para filho durante o parto. Por isso, a Secretaria da Saúde alerta sobre a importância de medidas preventivas como o uso de preservativos nas relações sexuais, não compartilhamento de agulhas e seringas, e materiais de uso pessoal.

Compartilhar:

Fotos