Ferramenta para combater arboviroses é debatida em reunião do Comitê Municipal Intersetorial de Combate ao Aedes Aegypti

  • 08/12/2017

Em mais um encontro, os membros do Comitê Municipal Intersetorial de Combate ao Aedes Aegypti se reuniram na manhã de ontem, 07, no bloco do curso de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri (URCA), com os estudantes da residência multiprofissional da instituição para debater ações de combate ao vetor.

Na ocasião, os estudantes apresentaram a Matriz de Arboviroses, baseada na Matriz de Corvalan, ferramenta esta, que auxilia na identificação, descrição e quantificação da ocorrência de agravos à saúde.

A Matriz de Arboviroses é estruturada em uma cadeia de causa e efeito que busca explicar a maneira como várias forças geram pressões que afetam o estado do meio ambiente, expondo a população a riscos que afetam a saúde.

De acordo com os residentes, a matriz é composta pelas seguintes etapas: força motriz, pressões, situações, exposição e efeito. Durante o encontro, os alunos, juntamente com os membros do comitê, analisaram situações, identificando causas, onde é possível definir os indicadores dentro dessa estrutura apresentada.

Além de debater ações de combate ao mosquito aedes aegypti, o comitê fica responsável em fazer um monitoramento de indicador de qualidade da vigilância, com investigação e notificação regular de casos de dengue e chikungunya; cobertura mínima de 80% de visitas domiciliares; e o cumprimento mínimo de dois levantamentos do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). O Comitê Municipal Intersetorial de Combate ao Aedes Aegypti se reúne quinzenalmente.

Compartilhar: