Segunda Escola da Rede Municipal de Ensino ofertará Educação em Tempo Integral

  • 15/02/2019

A segunda escola em tempo integral da rede municipal de ensino do Crato será a EEIEF/ETI Professor Álvaro Rodrigues Madeira, que fica na comunidade do Sertãozinho, no Bairro Seminário. A escola possui em torno de 360 alunos, destes, cerca de 80 estudantes do 4º e 5º anos, que a partir do próximo dia 25 de fevereiro, vão estudar em regime integral de ensino.

O diretor da escola, Kaká Queiroz, explica que os alunos no período da manhã terão aulas da base comum e no período da tarde estudarão as disciplinas eletivas ofertadas, como: Artes Cênicas, Educação Musical, Artes Visuais, Educação Ambiental e Projeto de Vida.

O gestor destaca que a instituição fará ainda o monitoramento da aprendizagem dos estudantes, ou seja, o aperfeiçoamento pedagógico, acompanhados por um professor que pela manhã, estará em sala de aula, e a tarde, o mesmo irá acompanhar todo o processo de aprendizagem, como a resolução de tarefas, trabalhos, monitorar a semana de provas. “O professor irá coordenar essa sala e vai trabalhar juntamente com a família, acompanhar as faltas, todo esse processo de aprendizagem do aluno”, explicou Kaká Queiroz.



PROJETOS

A escola oferece diversos projetos, dentre eles, Horta Comunitária, Escola Álvaro Madeira Vai e Cultura de Paz, que estimulam o protagonismo juvenil.

O equipamento de ensino possui 40 servidores, sendo 27 professores e oferece Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II, além de possuir um anexo da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A escola funciona das 07h10 às 11h30 e das 13h10 às 17h30.

Segundo a Secretária Municipal de Educação, Tereza Mônica, ao ofertar essa modalidade de ensino, o governo municipal está oportunizando as famílias atendidas pela instituição que os filhos permaneçam sete horas de estudo na escola. “Receber esses estudantes, passar esse tempo com eles e dar tranquilidade nesse espaço, é muito importante para a gente”, conta.

A gestora da educação afirma ainda que ao ofertar essa modalidade de ensino, espera-se que os estudantes sejam no futuro “excelentes profissionais e cidadãos conscientes da necessidade de uma educação integral”, aponta para dizer que a oferta desse ensino deve ser ampliada nos próximos anos. “Temos que aumentar até 2021 esse número substancial”, finaliza.

Compartilhar:

Fotos