CRAS Seminário recebe orientações do programa de Ações e Estratégias de Erradicação do Trabalho Infantil

  • 26/10/2017

Com o objetivo de alertar crianças e adolescentes sobre a exploração do trabalho infantil, a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social do Crato, através do programa de Ações e Estratégias de Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - AEPETI promoveu nesta terça-feira, dia 24, apresentações educativas no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Seminário. Uma peça de teatro formada pelo grupo da Escola Melvin Jones abordou o tema, “Exploração do Trabalho Infantil” e os alunos da Escola Jose do Vale, apresentaram o vídeo, “Lugar de criança é na escola”.

De acordo com a coordenadora do AEPETI, Camila Lopes, o programa é desenvolvido através de eixos como de mobilização, informação, identificação, atendimento, proteção e encaminhamentos. “Quando realizamos esse tipo de ação esperamos que as pessoas se empoderem para denunciar, para que possamos trabalhar em cima dessas denúncias e essas situações de trabalho infantil acabem de fato. Pra isso, contamos com o apoio da educação e com o setor de trabalho, através do Jovem Aprendiz, onde o adolescente, a partir de 16 anos pode trabalhar na condição de principiante”, afirma.

Camila destaca que esse é um trabalho informativo e de mobilização que será levado a todos os CRAS do município para identificar os casos e na sequencia trabalhar na abordagem e capacitação tanto dos trabalhadores da Secretaria Municipal de Trabalho e Desenvolvimento Social quanto da saúde, educação, as ONGs e administrar a abordagem social, onde possam ter casos de trabalho infantil, por exemplo, o mercado, o camelódromo e o centro da cidade.

Para a coordenadora do CRAS Seminário, Verônica Tavares, a iniciativa integra as ações fundamentais para o aprendizado das crianças sobre a exploração do trabalho infantil. “Estamos trabalhando para educar e orientar nossas crianças de seus direitos. Elas têm o direito de brincar e se divertir” comenta.

O diretor da Escola José do Vale, Claudio Gregório, ressalta que são nesses momentos que os casos de exploração do trabalho infantil podem ser identificados “a presença da escola é muito fundamental”, afirma.

Participaram do evento alunos, pais, professores, coordenadores e a gerente da Célula de Proteção Social Básica, Jhenifer Lopes que representou a secretária Águeda Duarte.

Compartilhar:

Fotos