Seminário propõe reflexão sobre desenvolvimento ambiental integrado
Seminário Caldeirão de Santa Cruz do Deserto teve como objetivos a proposição de ideias acerca da incisão da localidade como geossítio do Araripe Geopark Mundial da Unesco e subsidiar documentos para criação da Unidade de Conservação Municipal no espaço.

  • 11/10/2017

A Universidade Regional do Cariri em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - UNESCO, e Prefeitura Municipal do Crato, através das secretarias de Cultura e Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial, e apoio do Governo do Estado do Ceará, realizou durante todo o dia de ontem, 10, o Seminário Caldeirão de Santa Cruz do Deserto Uma Construção Coletiva. Destinado a reunir a população das comunidades do entorno do Caldeirão, professores, pesquisadores, gestores, entre outros representantes de instituições públicas e privadas e organizações sociais, o evento teve como objetivos a proposição de ideias acerca da incisão do Caldeirão da Santa Cruz do Deserto como geossítio do Araripe Geopark Mundial da Unesco e subsidiar documentos para criação da Unidade de Conservação Municipal no espaço.
O Secretário de Cultura do Crato, Wilton Dedê esteve presente no primeiro painel intitulado “Estudo da Arte do Caldeirão da Santa Cruz”, ao lado da Coordenadora Regional da Secretaria de Cultura no Cariri, Dane de Jade e do professor Domingos Sávio de Almeida (URCA). Dedê fez uma explanação do contexto histórico acerca do local e sua importância geográfica como espaço social e cultural.
Para o Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial, Brito Júnior, esse foi o primeiro passo para transformar o espaço na primeira Unidade de Conservação Municipal na caatinga. “É um grande momento para a gestão ambiental municipal. Caso aprovado, o projeto resultará na primeira Unidade de Conservação Municipal na caatinga cearense”, disse.
O Reitor da Universidade Regional do Cariri, Patrício Melo, enfatizou a importância da parceria entre o Governo Municipal, Estadual e da população que vive no entorno do Caldeirão neste momento. “É com grande satisfação que realizamos esse seminário ao lado da Gestão Municipal, através das secretarias de Cultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial e Ministério Público para pensar o desenvolvimento e dar visibilidade a história a do caldeirão transformando o lugar, com o apoio das comunidades do entorno, num processo de sustentabilidade que melhore a qualidade de vida das pessoas, reflita sobre a proteção do Meio Ambiente e em um mundo mais igual. Tudo isso associado a uma estratégia universal que é o reconhecimento da UNESCO através do Geopark Araripe”, disse o Reitor.
Também estiveram presentes o Secretário Estadual do Meio Ambiente, Arthur Bruno, o Padre Vileci Basílio Vidal, da Diocese de Crato, o Vereador Amadeu de Freitas, o Promotor de Justiça, Thiago Mendes, além de representantes do SEBRAE, SEMA Estadual, SAAEC e moradores do Assentamento 10 de Abril.

Compartilhar:

Fotos