Educadores da rede municipal participam de Seminário Maria da Penha vai à Escola

  • 12/09/2019

A cidade do Crato amarga os altos índices de violência contra a mulher. Diversas estratégias estão sendo adotadas pelo Governo Municipal, no sentido de mudar esse cenário. A primeira ação foi instituir uma Assessoria Especial para tratar do tema; apoiar e viabilizar o Centro de Referência da Mulher (CRM); e, agora, implantar a Lei Municipal nº 3461, de 8 de outubro de 2018, que torna obrigatório o ensino de noções básicas da Lei Maria da Penha.

Para isso, a Secretaria Municipal de Educação (SME) realizou, nesta quarta-feira (11), o Seminário Maria da Penha vai à Escola, reunindo diretores, coordenadores e diversos militantes do movimento social em defesa da mulher, no auditório da Escola Profissionalizante Violeta Arraes, em Crato.

O evento foi acompanhado pela primeira-dama do município, Aldalice Pinheiro, que falou da importância de discutir o tema e envolver as famílias no combate a este tipo de violência. “O amor transforma tudo. E essa lei vai mudar a vida de muitos meninos e meninas, dando um futuro melhor a cada um”, comentou.

Durante o seminário, mediado pela Secretária Adjunta de Educação, Tammy Lacerda, diversos profissionais e militantes apresentaram vivências e estudos para guiar a implantação da lei. A professora doutora Cileide Araújo, diretora do Escritório de Prática Jurídica da URCA, mostrou o panorama da mulher construído ao longo do tempo.

O defensor público Rafael Vilar, e Dra. Camila, Delegada da Mulher, falaram do dia-a-dia das instituições no atendimento à mulher vítima de violência. “Hoje começa um novo ciclo na defesa da mulher no Crato. Parabenizo a gestão municipal pela lei. A nossa sensação é de enxugar gelo diariamente. Agora com a lei, pudemos mudar essa cultura de violência”, ressaltou Vilar.

O autor da lei, o vereador Amadeu de Freitas, acompanhou todo o seminário e falou da importância da construção coletiva do projeto pedagógico. “Estamos construindo um processo de trabalho de educação. Algo mais profundo, que mudará a cultura do machismo, da violência. Feliz em saber que o poder municipal dará todas as condições para a implantação dessa lei”.

Durante a manhã, a emoção também se fez presente junto aos participantes, que lembraram o quanto avançaram na defesa do direitos das mulheres, das famílias, mas sobretudo, o quão é urgente que o ensino da Lei Maria da Penha, da não violência, seja efetivo no Crato.

Para a Secretária de Educação, Germana Brito, apesar da urgência, o município se prepara para que o projeto seja implantado gradualmente e com muita responsabilidade e sustentabilidade.

Também participaram do encontro, a Assessoria Especial de Políticas para Mulheres, Mara Guedes; a Presidente do Conselho da Mulher, Verônica Isidório; a Coordenadora do Centro de Referência da Mulher, Audilene Fernandes; a Coordenadora do Observatório da Violência da URCA, Professora Greyce Alencar; e secretários municipais. Entre uma palestra e outra, a poesia de Natália, Júlia e Lana.

Compartilhar:

Fotos