Crato promove roda de conversa sobre a importância da adoção

  • 28/05/2019

Na manhã de ontem, segunda-feira, 27, no auditório da OAB Crato, foi realizada roda de conversa em alusão ao Dia Nacional da Adoção (comemorado dia 25 de maio). O evento, idealizado pela Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (SMTDS), reuniu o Juiz titular da 4ª Vara da Infância e Juventude da Comarca de Crato, juiz José Flávio Bezerra de Morais; o Promotor da Infância da Adolescência, Davi Moraes, a gestora da SMTDS, Edivania Gonçalves; a coordenadora da Casa de Acolhimento, Elivania Alencar; o vereador Fernando Brasil, representando o Legislativo; e o presidente a OAB Crato, Reno Feitosa.

O momento se propôs a mostrar a importância da adoção, do cuidado para nossas crianças e adolescentes, bem como o quão relevante é o trabalho do sistema de proteção que preza, sobretudo pela dignidade humana.

Iniciando o evento, meninas do ballet do Centro de Referência deAssistência Social, (CRAS) Edvardo Ribeiro, de Ponta da Serra, realizaram uma linda apresentação artística

Na ocasião, um casal que adotou 4 irmãos, sra. Claudia Alexandre e sr. Gabriel de Oliveira, deu o depoimento sobre essa relação bem-sucedida e harmoniosa e o quanto o amor é crescente, surpreendente e encantador.

“A adoção é um ato de amor ao próximo, mas para realizá-la é preciso, primeiro, saber como adotar uma criança. Legalmente, é uma medida que visa a proteção do menor, principalmente se seus direitos tiverem sido ameaçados ou violados”, sintetizou o Juiz José Flávio Bezerra de Morais.

Para Edivania Gonçalves, gestora da SMTDS, que representou o prefeito Zé Ailton Brasil, a adoção é a criação de um vínculo afetivo que permanecerá por toda a vida, com uma criança ou adolescente. Apesar da ausência do laço genético, o futuro filho será inserido no seio familiar e receberá todo o afeto da família. “O trabalho da Casa de Acolhimento é muito importante, formado por profissionais empenhados em fazer o melhor”, destacou.

A adoção é regulamentada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e prioriza as necessidades e os interesses da criança ou adolescente. Isso porque ela é uma alternativa de proteção a esses jovens nos casos de alienação parental, por exemplo.

Também presentes, as secretárias adjuntas: da Educação, Tammy Lacerda e da Cultura, Cleia Feitosa.

Compartilhar:

Fotos