Profissionais da Saúde, Assistência Social e do Direito reúnem-se para traçar ações intersetoriais de garantia de direitos de crianças e adolescentes

  • 17/05/2019

A violência contra crianças ou adolescentes, quando identificada, nem sempre é decorrente de apenas um aspecto. Da mesma forma se dá o atendimento ao sujeito. As diversas áreas de atuação social devem estar integradas para que essa abordagem seja eficiente no combate às vulnerabilidades.

Com o objetivo de fortalecer uma rede de atendimento às vítimas de violação de direitos, a Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (SMTDS), em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Crato, realizou o I Seminário Intersetorial: Violação e Garantia de Direitos, reunindo profissionais das áreas da saúde, assistência social e direito, no auditório da OAB.

“O objetivo é definir os fluxogramas, encaminhamentos e acompanhamentos nas situações de violência, neste caso, de crianças e adolescentes, efetivando a intersetorialidade, para que cada área dessa não atue de forma isolada”, comentou Rita de Cássia, coordenadora do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS).

Conforme explicou Ricardo Aguiar, coordenador da Proteção de Média e Alta Complexidade, da SMTDS, uma programação diversificada está sendo realizada pela gestão para marcar o dia 18 de maio, de luta contra a violência sexual contra crianças e adolescentes. “A nossa preocupação esse ano foi reunir todo o sistema de garantia de direitos, inclusive a própria OAB Crato, e é uma satisfação em trazer a comunidade para dentro dessa discussão, para que juntos possamos pensar medidas para garantia de direitos e também para coibir as práticas violentas”.

O evento contou com a presença do presidente da OAB Crato, Dr. Reno Feitosa, que fez uma explanação da origem da violência no seio familiar e também transcorreu sobre como o fortalecimento do diálogo familiar é importante para romper com a violência.

Em seguida, as profissionais do CREAS explicaram a estrutura da política pública de assistência social, a função do CREAS e, ainda, como os profissionais das áreas reunidas podem atuar de forma mais efetiva contra a violência de crianças e adolescentes.

Compartilhar:

Fotos