Prefeitura do Crato presta apoio logístico para a primeira captação de múltiplos órgãos para transplante do Hospital São Francisco de Assis

  • 18/01/2019

Com responsabilidade e presteza, as Secretarias Municipais de Segurança Pública e Saúde tiveram papéis imprescindíveis nessa operação, que tem como intuito primordial salvar vidas.

A Prefeitura do Crato, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e do Departamento Municipal de Trânsito (DEMUTRAM), se fez presente no processo de organização e viabilização da logística da primeira captação de múltiplos órgãos para transplante do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis da Sociedade Beneficente São Camilo.

A operação, realizada no último dia 16, foi feita sob a condução da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do hospital, favorecida pela estrutura recém-inaugurada da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e as novas salas do centro cirúrgico.

De acordo com a CIHDOTT do Hospital São Francisco de Assis, formada por uma equipe multidisciplinar, após o diagnóstico de morte encefálica da doadora, feito por médicos especialistas, com as recomendações do Ministério da Saúde e do Conselho Federal de Medicina e com a devida autorização da família, já foi iniciado o processo de comunicação com a Central de Transplantes do Estado do Ceará para que a logística fosse concretizada para a efetividade da ação. A Comissão enaltece a ação dos familiares que decidiram de forma favorável a doação de órgãos, pois trata-se de um gesto nobre que salva vidas.

O Secretário de Segurança Pública do Crato, Coronel Jarbas Freire, explicou que a operação foi conduzida com muita responsabilidade e presteza “As Secretarias de Segurança Pública, através do DEMUTRAM, e Secretaria de Saúde, por meio do Serviço de Atendimento Móvel (SAMU), trabalharam com eficácia e eficiência no translado da equipe e dos órgãos do Hospital São Francisco até o aeroporto Orlando Bezerra de Meneses, em Juazeiro do Norte, com tempo hábil e com segurança”, destacou.

Sobre a doação de órgãos

É o ato de permitir que uma ou mais partes do corpo (órgãos ou tecidos), em condições de serem aproveitadas para transplante, sejam retiradas de um paciente após sua morte para que possam ajudar outras pessoas. No caso dos órgãos, o transplante precisa ser feito horas após o falecimento para que seu funcionamento no receptor não seja inviabilizado. Em alguns casos, a doação também pode ser feita em vida.

Além de a doação de órgãos e tecidos poder salvar ou melhorar a qualidade de vida diretamente – substituindo uma parte do corpo que não está funcionando bem em um paciente, a mesma é algo muito importante. Mesmo ainda envolta em tabus e preconceitos, dificultada pela negativa de familiares, a atitude pode melhorar muito a rotina de quem precisa.

Compartilhar: