Centro POP do Crato intensifica atividades com seus usuários

  • 14/01/2019

A casa antiga, bem atrás da Praça Bicentenário, silenciosamente realiza um dos trabalhos assistenciais mais importantes do município. Lá é a sede do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), um espaço referência para que qualquer pessoa em situação de rua possa procurar serviços de acesso à documentação oficial, Cadastro Único para Programas Sociais, realizar higiene pessoal, atividades socioeducativas e artísticas. Além de atendimento especializado por profissionais que auxiliam na resolução das suas demandas.

Na última sexta-feira (11), além das atividades acima, a equipe da Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (SMTDS), pasta que o equipamento é vinculado, iniciou a oferta também de acesso à alimentação, com um sopão no período da noite. “Já oferecemos café da manhã, dormida, banho e para suprir as necessidades diárias dessa população, mantemos parceria com a Secretaria de Saúde para cuidar da saúde deles. Eles são muito vulneráveis nessa área e damos esse apoio. Além de mostrar a eles todos os direitos e encaminhá-los para os diversos serviços”, afirmou Catiano Oliveira, coordenador do Centro POP.

A gestora da SMTDS, Edivania Gonçalves, também esteve no lançamento da atividade e aproveitou para estreitar os laços entre a secretaria e o público do serviço. “Os equipamentos estarão cada vez mais próximos de vocês, em 2019, então utilizem, procurem a equipe para que possamos encaminhá-los para o atendimento”, afirmou.

A população em situação de rua, em Crato, gira em torno de 100 pessoas. Esse número é variável devido a situação fronteiriça com os outros estados. “Vamos intensificar as ações para que possamos possibilitar a mudança na vida dessas pessoas. Além da garantia de direitos, agimos também na reestruturação de vínculos familiares, ponto bastante frágil desse público”, complementou.

Um dos moradores atendidos pelo Centro POP é Ivo, cratense, ele está em situação de rua há dois anos. Após cumprir uma pena e ter um desentendimento com a família, passou a viver na Praça São Vicente. Há um ano frequenta o centro e comemora as conquistas. “Esse povo aqui ajuda demais a gente. Se algum morador falar deles é porque é ruim. Faz um ano que estou aqui fui totalmente bem tratado. Tenho minhas coisas guardadas aqui, minha TV, ventilador, então só tenho a agradecer”.

Ele conta que o sonho dele é conquistar sua casa própria. “Não importa o tamanho, se for um quartinho e um banheiro vou ficar feliz demais”, conta.

Compartilhar:

Fotos