Infância Protegida: Crato tem menor índice de mortalidade infantil de sua história

  • 10/07/2018

O Governo do Crato, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), comunica que, de acordo com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, o município teve em 2017, a menor taxa de mortalidade infantil de sua história. Assim, pela primeira vez, a cidade do Crato atinge uma taxa de apenas um dígito.

De acordo com a Gerente da Célula da Vigilância Epidemiológica e Imunização da SMS, Danielle de Norões, em 2017, o resultado da cidade do Crato foi 9,98, uma redução superior a 30% em relação a 2016. “No ano de 2016, o índice de mortalidade infantil do município do Crato foi de 14,96, em 2017, nossos números baixaram para 9,97. Isso é uma grande conquista que advém de um trabalho diário e em conjunto”, esclarece.

“Estaremos trabalhando para que esses números diminuam ainda mais, com muita atenção a qualidade da assistência disponibilizada para os cratenses”, destaca o Secretário Municipal de Saúde, André Barreto.

A mortalidade infantil é indicador das condições de vida e saúde da população, as causas dos óbitos são, na maioria, potencialmente evitáveis por ação oportuna e adequada dos serviços de saúde.

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), da gestação ao parto, o nascimento de uma criança envolve dezenas de pessoas, familiares, amigos e profissionais, tornando-se um grande acontecimento social, que quase sempre desperta alegria, esperança e responsabilidade. Proteger esse novo ser é tarefa de todos, já que a criança é protagonista de seu próprio desenvolvimento, ou seja, desde a gestação ela não é propriedade de alguém e sim uma pessoa com direitos, capaz de modificar os ambientes e as reações dos indivíduos em sua volta e que, portanto, necessita ser ouvida em suas diferentes manifestações.

No município do Crato, são consideradas premissas, a atenção, o cuidado e os esforços para que a mortalidade infantil continue a diminuir.

Compartilhar:

Fotos