Programa de Qualificação em Educação Popular em Saúde reúne profissionais de diversos segmentos

  • 17/05/2018

Profissionais e estudantes da saúde, mestres do saber popular, como parteiras, benzendeiras e meisinheiras estavam reunidos nesta quarta-feira, 16, em Crato, durante o encerramento do Curso EdPopSus – Programa de qualificação em Educação Popular em Saúde, discutindo a importância de associar o saber acadêmico com o popular para a consolidação efetiva de uma saúde pública de qualidade.

O curso, que teve início em janeiro de 2018, reuniu 35 profissionais, entre eles Agentes Comunitários de Saúde, Agentes de Endemias, Enfermeiros, Psicólogos, Terapeutas e representantes de movimentos sociais e associações comunitárias, durante 17 encontros.

“O objetivo foi trabalhar a humanização juntos aos profissionais que estão na ponta do atendimento. É fazer eles reviverem o lado comunitário. O atendimento não é só preencher formulários, eles devem conversar, dialogar com a população e entender o que acontece, para direcionar melhor o atendimento”, afirma o facilitador do curso, Ivonildo Santos.

Durante os encontros, os profissionais tiveram a oportunidade de experimentar todo o conhecimento compartilhado durante sua prática profissional. No encerramento, cada participante fez um recorte do território onde atua e expôs para os demais, durante a Feira Soma.

A enfermeira Sandra Lacerda Matos, que trabalha há 13 anos no Centro de Saúde Joaquim Ferreira Leite (PSF Ponta da Serra II), no distrito da Ponta da Serra, em Crato, apresentou o projeto “Espaço Convida e Saúde”, que implementa atualmente uma Farmácia Viva e Horta Comunitária. Para ela, o curso serviu para fortalecer a mobilização que ela e a equipe já vem realizando naquela localidade.

“Desde 2017 estamos realizando reuniões para a formação do Conselho Local de Saúde. A partir deste fortalecimento iniciamos a discussão para a implantação da horta e da farmácia, dentro do que permite a política nacional da saúde. Nós passamos as informações medicinais sobre e eles nos ajudam com a plantação, os cultivos. É uma troca de saberes”, afirma.

Muito orgulhosa, ela conta que nos próximos dias já vão colher as primeiras verduras e legumes, que servirão para a creche. “Outro dia, os moradores foram no fim da tarde cuidar do plantio, organizar o local, sem que eu estivesse lá para solicitar. Fiquei muito feliz, certa de que alcançamos o objetivo, que é a autonomia deles”, comemora Sandra.

Política Municipal

Para Ivonildo Santos, um grande passo deverá ser dado agora, que é a inclusão da Política de Educação Popular para a Saúde na política municipal. “É importante integrar as práticas e os atores dentro da política de saúde do município, oferecendo outras possibilidades além da lógica mercadológica da saúde exposta nos dias atuais”, finaliza.

Compartilhar: